quarta-feira, 21 de outubro de 2009

Nem todo aquele que diz: "Senhor, Senhor!".

"Acautelai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós com vestes de ovelhas, mas por dentro são lobos vorazes." (Mateus 7:15).

O versículo acima, por ele só, já seria suficiente para termos um longo texto sobre os pastores da chamada "Teologia da Prosperidade". Os ditos pastores, sacerdotes, profetas, que extorquem as pessoas do produto de seu trabalho em nome de Deus. Será que era a esses que Jesus se referia acima?

Entretanto, não podemos tapar o sol com a peneira. Não podemos negar que as vezes, algumas coisas funcionam nas igrejas desses pastores, nas obras deles, em seus ministérios. Pessoas são salvas, se arrependem de seus pecados, são curadas, milagres são realizados... E aí? Confuso, não?

Para ajudar a desfazer essa dúvida, basta nos lembrarmos de uma frase recorrente no vocabulário de Jesus ao longo dos evangelhos: "vai, a tua fé te salvou". Essa sentença aparece (em uma busca rasa) no mínimo sete vezes ao longo dos relatos. Onde quero chegar? Cristo não fala: "Eu te salvei". É lógico que sabemos que é Cristo quem realiza o milagre, e que só somos salvos através dEle, porém, se não há fé, não há salvação, deve haver a crença. Nunca seremos salvos "a força". Muitas vezes, Deus pode agir na vida de uma pessoa, chamá-la, mas ainda assim, a escolha final de aceitar ou não, é dela.

O que quero dizer então? Os sinais de Deus que encontramos por meio das obras destes lobos em pele de ovelha, são legítimos, entretanto, acontecem praticamente por meio da fé das pessoas.

"Mas e os pastores?" me perguntarão vocês. "Eles não falam por Deus"? Eu não tenho uma resposta dessa magnitude, até por não julgar por Deus. Entretanto, podemos ver o que a Bíblia diz.

"Nem todo o que Me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de Meu Pai que está nos céus. Muitos, naquele dia, Me dirão: Senhor, Senhor! não foi em Teu nome que profetizamos, e em Teu nome expulsamos demônios, e em Teu nome fizemos muitos milagres? Então lhes declararei: Nunca vos conheci. Apartai-vos de Mim, os que praticais a iniquidade." (Mateus 7:21-23, grifos meus).

Interessante. Nem todo que clama, nem todo que crê, nem todo que faz obras em nome de Cristo serão aceitos, apenas aqueles que fazem a vontade de Deus. No nosso caso de estudo aqui, acho que podemos nos reter no aspecto financeiro, para ver o que é a tal da "vontade de Deus".

"Nenhum servo pode servir dois senhores; porque, ou há de odiar um e amar o outro, ou se há de chegar a um e desprezar o outro. Não podeis servir a Deus e a Mamom. [Mamom significa 'riqueza' em aramaico, também é conhecido como a "divindade do dinheiro"]. E os fariseus, que eram avarentos, ouviam todas estas coisas, e zombavam dele. E disse-lhes: Vós sois os que vos justificais a vós mesmos diante dos homens, mas Deus conhece os vossos corações, porque o que entre os homens é elevado, perante Deus é abominação." (Lucas 16:13-15 grifos e nota entre colchetes são meus).

Claro, direto e conciso. "Não podeis servir a Deus e a Mamom". Não há um talvez, um porém, um "quem sabe". Como poderemos buscar a vontade do Pai se nossa cabeça e nosso querer buscam o dinheiro? Se buscam apenas acumular? Lembremos que "onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração"(Mateus 6:21).

Assim se comportam os tais pastores-lobos-disfarçados-de-ovelha. Eles diferem muito pouco de algum industrial poderoso, um comerciante ávido; esses burgueses exploradores da mão-de-obra dos "pequeninos". Tais pastores diferem-se por buscar acumulação de capital usando o nome de Deus. E muitos deles um dia clamarão: "Senhor, Senhor!". Qual será o seu destino?


Um comentário:

Rabiscos do Renato disse...

Muito bom Filipe. Copiei, salvei e vou usar oportunamente. Abraços!